quarta-feira, 4 de maio de 2011

Na fé, no peito e na raça!

Na fé, no peito e na raça, esta é a tradução do Santos FC hoje. A Cada jogo, cada batalha, o time vem se superando de uma forma campeã. Este realmente será um ano marcado por grandes batalhas, e a batalha de Querétaro será marcada como uma das mais valentes da história santista.
Santos 0 x 0 América-Mex, resultado que classificou o Santos para as quartas de finais da Libertadores 2011. Provavelmente a próxima batalha será o que eu vou chamar de Café (paulistas) x Leite (mineiros), se o Cruzeiro eliminar o Once Caldas. Mas no México houve de tudo, tirando os desgastes  da longa viagem, no início do jogo, daqui do Brasil, eu fiquei irritado com aquela música alta, imagina os jogadores lá. Pela televisão dava-se a impressão que o estádio era meio sinistro, a torcida deles jogou junto com o time o jogo inteiro, com direito a grito de olé desde o começo do jogo. E a sirene a cada escanteio do América? Está soando na minha mente até agora. Mas eis que surge os 11 tubarões feridos, enfrentando tudo, e com direito a declaração de um dos nossos mais destemidos dos tubarões, o Léo,  que disse assim: " Comemorem santistas, pois este time está lutando por vocês!".
Esta última batalha marca o título desta postagem, na fé, no peito e na raça.
Na fé, por que assim como todo time, temos nossas guias, alguém em que se apegar nos momentos de maior perigo. Nossa Senhora do Monte Serrat e Iemanjá são as guias mais próximas do santista de fé. Fé que guarda todo bom goleiro. Todo bom goleiro tem que ter sorte, e fé também. a cada bola defendida ou pra fora, o nosso "São Rafael" levantava as mãos para o céu. Fechou o gol como uma verdadeira muralha e assim garantindo a nossa classificação.
No peito porque cada jogador do Santos está carregando no peito o símbolo mais conhecido no futebol mundial, onde o maior de todos carregou por muitos anos, e assim é venerado por todos no mundo do futebol. Um distintivo sagrado, que todos estão respeitando e todos tem este símbolo como tatuagem no peito, no lado esquerdo, ao lado do coração. Até você Ganso!
Na Raça, foi pela a parte física do Arouca, pelo sangue do Dracena, pelo sacrifício do Léo, pelas as esticadas do Rafael, os chutões do Durval, as porradas que o Neymar e o Ganso levaram, pelo esforço de Adriano e Jonathan, e pela a aventura da longa viagem desgastando tanto os jogadores, como os heróicos Santistas que foram ao México gritar pelo time. Pelo chefe maior que por desgaste mental, usa todo o seu intelecto futebolístico para acertar nas peças com mais condições de enfrentar uma batalha, e a cada batalha vem o sufoco de acertar as peças certas.
Pois é santistas, estamos no meio de duas batalhas sangrentas, uma pela a América, a outra é pela a honra, encarando o nosso maior rival.
Mas guerreiro é guerreiro, como tubarões somos temidos, e assim vestiremos juntos as fardas brancas para uma longa guerra, são mais 8 jogos! 8 jogos com o Santos onde e como ele estiver!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário